Di, eu te amo!!!! =*****
 
eu

Marcos, 23 anos, namora a Di, tem uma gata chamada Sofia. Adora música, cinema, HQs, livros, séries de TV, videogames e tudo que é gadget.
Estuda cinema na FAAP, tenta fazer filmes e assiste tudo que tem chance.
Acumula CDs, DVDs e HQs pela casa.
Sonha em ter um quarto só de depósito.
Toma banho quente até no calor e água gelada e sorvete até no frio.
Paulista, paulistano e são-paulino.
Fã de mais bandas e filmes do que dá pra citar. (é melhor perguntar)

musica rock (principalmente alternativo), j-music e jazz.
filmes
principalmente os orientais, mas também filmes indies americanos e Star Wars. Mas eu gosto de assistir de tudo.
msn
*odeio*
icq
ask me
fotolog
audioscrobbler
pillblog
bad obsession
gourmets
lista de presentes
coleção de games na IGN

links

blogs
The Way I See It
Buraco oOo
the utility muffin research kitchen
Muzukashii Mind
Blog Bloody Blog
Losers 4 Ever
No 15
Optimistic
Carpe Diem, Seize the Day
Chibikitsune
Petulância
Piers Platz
Par ou Ímpar
Drop Dead Gorgeous
Faux Raccord
for sleep's sake

musica:
greenplastic radiohead
silverchair.nu
NIN
garbage
covers project
project J
dying days
test 4 echo
ludov
pullovers
NME


hq:
universo hq
omelete
panini
neil gaiman
marvel
newsarama
mutação
the geek out

anime/manga:
animepro
animeblade
anime on DVD
japan guide

cinema:
e-pipoca
dark horizons
imdb
midnight eye
the tarantino archives

games:
planet gamecube
cube europe
ign
uol games

penny arcade

outros:
são paulo net
apple
digital dissent

 

 
Saturday, May 27, 2006

Asas Eternas E O Oceano Perdido



Fazia muito tempo que eu não jogava um RPG. O último havia sido Tales of Symphonia, também para o Gamecube e também feito pela Namco. E apesar de Tales ser fantástico, eu queria algo com batalhas por turnos. Como as opções de RPG no Gamecube são poucas (e eu tenho problemas em jogar o PS2 por longos períodos de tempo, por algum motivo), acabei comprando Baten Kaitos.
Esse era um jogo que quando foi anunciado me deixou bem empolgado. RPG, gráficos lindos e feito pela equipe Monolith, os mesmos que fizeram o jogo de PS2 que eu mais quero jogar (Xenosaga - uma gande saga espacial que envolve diversas questões filosóficas e coisas do gênero). Quando eu descobri que as batalhas eram feitas por cartas, no entanto, eu desanimei. Nunca gostei desse negócio de batalhas por cartas.
Mas como eu já disse antes, a falta de bons RPGs me empurrou para Baten Kaitos. E eu me surpreendi.
A história não é tão profunda como parece ser a de Xenosaga, mas para aqueles que jogarem por um bom tempo, ela oferece reviravoltas muito interessantes.
Outra coisa que me chamou a atenção foi o design das fases. Especialmente em um mundo chamado Mira. Lá, todas as coisas são malucas. Há uma cidade de doces e outra que nos remete a Katamari Damacy, pelo visual. Existe uma dungeon onde de repente o jogo vira um labirinto 2D como em Pac-Man, inclusive com sons característicos da época. E a fase mais inventiva é sem dúvida uma na qual você atravessa um labirinto de espelhos. Ao invés de ter a visão de 3a pessoa em 3/4 normal, você vê apenas fragmentos, cada um mostrando um pequeno ângulo do labirinto, e aí você tem que se virar. Acho que é o design de fases mais inovador que já vi em um RPG.
Até as batalhas de cartas são legais. As cartas possuem a essência dos objetos que estão nelas, assim você pode carregar muita coisa com apenas um baralho (o que é bem pensado). O mais legal nisso é que os objetos nas cartas evoluem e envelhecem. Frutas verdes, que dão dano a quem comer, amadurecem e ficam boas. Depois disso elas apodrecem e voltam a causar dano. Isso é só um exemplo, essas coisas acontecem o tempo todo. Também é possível fazer combinações com as cartas, conseguindo cartas novas. Exemplo: queijo + vinho = fondue de queijo. No momento, estou tentando fazer fogo + frango = frango assado.
Além de tudo isso, outra novidade em Baten Kaitos é o seu papel na trama. Aqui você não é Kalas, o herói que salvará o mundo etc etc etc. Você é você mesmo. É isso aí! Você entra seu nome no começo do jogo e Kalas percebe sua presença. Ele sabe que você está lá e não é do mundo dele. O jogador age como um espírito protetor para Kalas, aconselhando e escolhendo o que fazer (é claro que você controla o movimento do personagem também).
Com certeza é um jogo que superou minhas expectativas. E o melhor de tudo é que ele é longo. Já estou com 30 horas de jogo (ao longo de quase 3 meses, sou muito lento nessas coisas) e o jogo não parece perto do final.


mrcsh @ 12:43 PM

***

 

Comments: Post a Comment

 
no momento...

filmes
Harry Potter e o Cálice de Fogo **
Marcas da Violência ****

gamecube

Resident Evil 4 **** - Incrível.

ds

Mario Kart DS ****
Sonic Rush ****

iPod + iTunes
usrejects's Last.fm Weekly Artists Chart

HQ
Homem-Aranha 48 *
Marvel Millenium: Homem Aranha 47 ****
Ex Machina **
X-Men 48 o

livro
Matadouro 5 (Kurt Vonnegut) ***
O Guia do Mochileiro das Galáxias ****

ancient history

October 2004 l November 2004 l December 2004 l January 2005 l February 2005 l March 2005 l April 2005 l May 2005 l June 2005 l July 2005 l August 2005 l September 2005 l October 2005 l December 2005 l January 2006 l February 2006 l March 2006 l May 2006 l
flickr

Get awesome blog templates like this one from BlogSkins.com